31/10

Como Vender seu Produto na Copa na pauta do 5° Papo de Negócio Sebrae 2014

Karina Brito

Bárbara Wagner

Denise Trevellin Forini

Resumo do 5° Dia (31/10)

No penúltimo dia de evento, as convidadas falaram sobre o desempenho dos projetos Mosaico Brasil e Brasil Original.

Bárbara Wagner

A empresária e consultora do Sebrae, Bárbara Wagner, falou sobre os resultados do projeto Mosaico Brasil. Segundo ela, foi fundamental estabelecer indicadores de desempenho da loja desde sua abertura, para que as decisões fossem tomadas durante o período de funcionamento do projeto. “Um dos principais indicadores foi a venda por dia”, citou.

A consultora contou que as vendas começaram lentamente, em função da oferta de poucos produtos, e foram aumentando à medida que a loja era abastecida com novos itens de diferentes tipos. “Partimos de uma média por dia de R$ 650,00 e conseguimos chegar, nas últimas semanas, a R$ 4.000,00”, relatou.

A taxa de conversão também foi acompanhada diariamente. Trata-se do comparativo entre o número de visitantes que entravam na loja e o número de compradores. “Percebemos que esse número ia aumentando à medida também que a loja estava mais bem abastecida e oferecia mais opções de compras aos clientes”.

Outro indicador foi a média de gastos por comprador. Segundo a consultora, esse valor ficou entre R$ 43,00 a R$ 61,00. Além disso, foram acompanhados o número de itens vendidos, o valor e o número de itens oferecidos.

Um dos destaques para a avaliação do projeto foram os números das vendas semanais. Na primeira semana, as vendas chegaram a R$ 2.700,00, enquanto que, na última semana, esse valor chegou a R$ 32.000,00.

A consultora lembrou ainda a importância de se trabalhar com indicadores de avaliação em qualquer central de comercialização colaborativa, como ocorreu com o Mosaico Brasil. Eles ajudam no gerenciamento do negócio e na tomada de decisões, como, por exemplo, o lançamento de promoções. De acordo com Bárbara Wagner, os fornecedores sempre querem saber como estão as vendas de seus produtos e os motivos pelos quais um determinado produto não está sendo vendido. Para ela, manter indicadores de resultados “é importante para manter o controle sobre o desempenho da loja e também oferecer satisfação aos fornecedores”, finalizou.

Denise Forini 

Denise Trevellin Forini, coordenadora da carteira de Artesanato do Sebrae Nacional e do projeto Brasil Original, falou sobre a quantidade de itens comercializados nas lojas do Brasil Original, durante a edição de 2013. “Nós tivemos mais de 22 mil itens comercializados nos cinco showroons, em 2013, e a perspectiva para 2014 é que esse número seja ainda maior”, afirmou, lembrando que, durante a Copa do Mundo FIFA 2014, o projeto estará presente em oito das 12 cidades-sede do mundial.

A coordenadora também falou sobre os tipos de produtos artesanais vendidos nas lojas. Eram produtos variados, de alto valor agregado e das mais diversas tipologias brasileiras. Itens de tapeçaria, renda, cestaria, cerâmica, marchetaria, fibras naturais e de materiais reciclados compuseram o mix de produtos oferecidos. Alguns showroons ofereceram também souvenirsfocados na Copa do Mundo, apesar de não fazerem parte do objetivo do programa. “O foco está nos produtos de alto valor agregado”, disse Denise Forini.

Karina Brito

A gerente de marketing do Shopping Barra, Karina Brito, iniciou o vídeo dizendo que tem muito orgulho de falar sobre o Projeto Brasil Original. Em parceria com o Sebrae, o Shopping Barra, em Salvador, realizou feira voltada para o turismo durante a Copa das Confederações em 2013.

Karina comentou que o Shopping Barra é localizado em uma área com muitos hotéis e pontos turísticos da cidade. Por isso, tem naturalmente o turista como principal público. “Portanto, o projeto Brasil Original casou muito bem com nossos objetivos”, destacou.

A feira ocorreu durante mais de 30 dias na praça central do Shopping Barra, local nobre no qual passam mais de 50 mil pessoas por dia. “O projeto teve a cara do Barra pelo requinte que o Sebrae pôde apresentar e pela qualidade dos produtos e dedicação de todos os artesãos aqui presentes”, ressaltou.

Segundo Karina, a Copa do Mundo FIFA 2014 está chegando e a estratégia principal a ser adotada deve ser valorizar a nossa cultura local. “No Brasil Original, o Brasil todo estava presente através de grandes artesãos. Então, a Copa do Mundo vem com a perspectiva de apresentar mais uma vez um evento nesse knowhow e com essa qualidade. Isso acaba refletindo e fomentando as vendas no shopping já que o evento traz uma clientela que com certeza tem a ver com o nosso mix e que atende ao lojista. É um cliente que a gente quer e tem prazer de agradá-los”.

Karina fechou sua fala desejando boa sorte ao empreendedorismo para a Copa de 2014 e dizendo que o Shopping Barra estará mais uma vez junto com o Sebrae fomentando e valorizando a cultura nacional.

Converse com outros participantes do Papo de Negócio pelo twitter por meio da hashtag #papodenegociosebrae2014, pelo Facebook na página do Sebrae 2014 ou pelo Grupo no Facebook

Anúncios