20/09

Resultados da Copa das Confederações FIFA 2013 e perspectivas para a Copa do Mundo FIFA 2014 na pauta do 4° Papo de Negócio Sebrae 2014

Dival Schmidt

André Dantas

Sarah Albrecht

Gilson Novo

Resumo do 1° Dia (20/9)

No primeiro dia da 4ª edição do Papo de Negócio Sebrae 2014, os convidados se apresentaram e começaram a debater assuntos referentes aos resultados da Copa das Confederações FIFA 2013 e às perspectivas para a Copa do Mundo FIFA 2014.

Dival Schmidt 

O economista e coordenador do Programa Sebrae 2014, Dival Schmidt, iniciou sua participação no Papo de Negócio Sebrae 2014 contando que o Sebrae teve a oportunidade de acompanhar o desempenho de empresas em três cidades-sede (Recife, Belo Horizonte e Rio de Janeiro) da Copa das Confederações FIFA 2013, nas quais foram observados pontos fortes, principalmente, relacionados com a busca de oportunidades nos segmentos de turismo, economia criativa, entretenimento, gastronomia, comércio varejista e serviços.

Também foram observados, segundo Schmidt, alguns pontos que merecem melhorias e que precisam da atenção dos pequenos empresários, como aspectos relacionados com o atendimento e com a divulgação e identificação das iniciativas. “Um exemplo é com relação ao idioma, a comunicação”, afirmou o coordenador do Programa Sebrae 2014, lembrando que existem algumas opções que podem ser exploradas, como as traduções por meio do uso da tecnologia e de ferramentas como o Google, que ajudam a promover a interação entre o consumidor e a empresa que o está atendendo.

Schmidt relatou ainda que foi possível observar que “em alguns territórios, que são extremamente propícios e fomentadores de negócios, as empresas ainda estão um pouco distantes da observação desse universo”. Ele acrescentou que o intuito agora é provocar os pequenos empresários no sentido de que, com o apoio do Sebrae, por meio de dicas e informações, é possível atuar de maneira responsável e presente durante a Copa do Mundo FIFA 2014, sem comprometer ações que estejam fora do escopo dos negócios.

Outro aspecto abordado foi o fluxo de visitantes que ocorrerá entre as cidades-sede do mundial de futebol, que “pode determinar uma série de oportunidades, não somente vinculada ao turismo, mas também ao comércio e à economia criativa”. E ressaltou: “devemos estar atentos aos fluxos de pessoas que aproveitam a oportunidade de estar aqui para conhecer novas situações. Existem pesquisas, que já estão disponíveis no http://www.sebrae2014.com.br, que indicam que boa parte dessas pessoas estará disposta a conhecer outros locais, estará disposta a interagir com outras opções, não somente de entretenimento, mas de busca de algumas diferenciações que o nosso País oferece”.

Dival Schmidt concluiu sua apresentação lembrando que, durante o Papo de Negócio Sebrae 2014, será possível debater as oportunidades sinalizadas pela Copa das Confederações FIFA 2013 e, a partir das dúvidas e demandas dos empreendedores, “construir boas alternativas para que as empresas façam negócios e se tornem mais competitivas”.

André Dantas

Em seu vídeo de abertura, André Dantas, analista técnico e gestor do projeto de inteligência em mercados da Unidade de Acesso a Mercados e Serviços Financeiros do Sebrae, tratou da indústria de cartões de pagamento no Brasil, que, segundo ele, passou por uma significativa mudança em 2010.

Dantas explicou que a partir da quebra da exclusividade, um número maior de empresas passou a aceitar cartões de débito e de crédito. Além disso, houve a redução de custos nas taxas de administração e nos aluguéis das máquinas. “Até aquela época, era necessário que o empresário que quisesse aceitar cartões de pagamento tivesse uma maquininha para cada bandeira, o que inviabilizava a adoção desse meio eletrônico de pagamento em função dos altos custos de taxas de administração e de aluguéis”, afirmou.

O analista lembra que a quebra da exclusividade trouxe benefícios imediatos para os empresários, especialmente os pequenos negócios. De acordo com recente pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Belo Horizonte, mais de 80% dos empresários que aceitam cartão tiveram algum tipo de redução de custo.

“É nesse cenário concorrencial que o País entra no cenário internacional dos eventos esportivos e culturais. No próximo ano, estaremos recebendo a Copa do Mundo da FIFA no Brasil, evento que trará uma imensidão de turistas estrangeiros e promoverá também a movimentação do brasileiro em busca dos jogos desse evento esportivo”, ressaltou.

André Dantas trouxe ainda dados que mostram o volume de pagamentos com cartões em grandes eventos. De acordo com pesquisa realizada por uma grande bandeira de cartão de crédito, no período de realização da Copa do Mundo na África do Sul, em 2010, houve um aumento de 82% nos gastos dos turistas estrangeiros naquele país. “Os segmentos de varejo, hospedagem e restaurantes foram os mais impactados, gerando um volume diário de gastos na ordem de 8,3 mil dólares”, relatou.

Esse ano, o Brasil recebeu a Copa das Confederações FIFA 2013, considerado um teste para o grande evento que ocorrerá em 2014. Segundo o analista, o evento trouxe, aproximadamente, 20 mil turistas estrangeiros, que, em média, ficaram 14 dias no País e gastaram em torno de R$ 2 mil por dia. Ele alertou que esses turistas vão voltar e em maior escala. “Por isso, é importante estar preparado para esse momento. Aceitar cartões de pagamento vai muito além dos aspectos já conhecidos desse eficiente meio eletrônico de pagamento. Não há risco de inadimplência, aumenta a segurança dos pequenos estabelecimentos em relação a moedas e cria a possibilidade de acesso a produtos e serviços bancários mais estruturados, como é o caso do capital de giro”, destacou.

Dantas concluiu dizendo que a aceitação de cartões de pagamento é elemento para alavancar vendas, seja para o publico interno ou para o público visitante, já que a moeda eletrônica é universal.

Sarah Albrecht

Em seu vídeo de apresentação, Sarah Albrecht relatou que sua empresa, a Atalho Comunicação, é especializada em relações internacionais e comunicação, e o trabalho é voltado para o público estrangeiro que está no Brasil e o público estrangeiro que pensa em vir ao Brasil ou o público internacional que consome os nossos produtos.

Ela contou que em 2013 sua empresa fez um trabalho chamado cliente oculto com o foco no torcedor estrangeiro na Copa das Confederações. Segundo ela, pautados pelo Sebrae nas cidades que aconteceram os jogos da copa, eles visitaram vários estabelecimentos simulando situações pelas quais passariam os torcedores estrangeiros. A ideia foi avaliar o atendimento nesses pequenos negócios e as estratégias adotadas pelos estabelecimentos para atender esse público, como o empresário preparou o seu produto ou o seu serviço para a Copa das Confederações. O objetivo foi tirar lições para melhorar e inovar em 2014.

Nesse trabalho, segundo ela, foi possível ver como vários empresários resolveram a questão dos vários idiomas. Até que ponto essa questão é um problema ou não. “Somos realistas e sabemos que temos pouco tempo até a Copa do Mundo 2014. Então, nesse pouco tempo que nos resta, o que podemos fazer para inovar e conseguir atender esse turista estrangeiro com qualidade a ponto de ele querer voltar para nosso país e consumir os nosso produtos?”, ressaltou Sarah.

A consultora destacou que cada cidade visitada tinha sua particularidade. “Fizemos vários rankings e estatísticas. Os setores trabalhados foram: comércio varejista, serviços, turismo e produção associada ao turismo, que são os setores que têm maior contato direto com esse público e que vão ter também em 2014”.

Sarah fechou sua fala chamando a participação do público: “se você é empresário de algum desses setores e ainda quer saber o que é possível fazer para tirar proveito da Copa do Mundo 2014, não deixe de participar desse Papo de Negócio enviando sua pergunta e tirando sua dúvida. Eu vou tentar responder ao máximo suas perguntas e contar quais foram as grandes lições que tiradas durante a Copa das Confederações. E acho que como a Copa das Confederações foi uma fase de teste, nós temos várias sugestões e propostas para melhorar o seu negócio. Envie sua pergunta e participe!”

Gilson Novo

O diretor de Relações Institucionais e de Governos da Match Connections abriu sua fala no primeiro dia do evento dizendo que pretende ter bons momentos com os ouvintes do Papo de Negócio Sebrae 2014 ao tratar de um assunto muito importante e que trará benefícios para o nosso País, o megaevento Copa do Mundo FIFA 2014.

Ele ressaltou que nesse período abordará vários pontos, principalmente as oportunidades que os grandes eventos trazem para o País. “Estarei abordando muito da logística e tudo que foi desenvolvido nos estudos que fizemos. Tudo que depende da movimentação de torcedores, imprensa e patrocinadores. É prevista a chegada de cerca de 500 mil pessoas em nosso País”, lembrou.

Segundo ele, a Match Connections está nesse momento preparando  principalmente suas equipes mas também pretende alimentar o empresário com informações e dados que possam ajudá-lo em sua qualificação e, consequentemente, consiga receber melhor os turistas. Para ele, o turista deve ser recebido de maneira especial e profissional para que possa voltar em outras ocasiões. Esse é o objetivo do trabalho.

Gilson terminou sua fala chamando a participação de todos ao evento e lembrou que estará à disposição para responder as perguntas direcionada a ele, principalmente aquelas ligadas a parte de logística do megaevento.

Anúncios