24/04

Conheça mais sobre nossos convidados

Alexandre Sampaio é presidente da Federação Nacional de Hospedagem e Alimentação (FBHA). Formado em ciências contábeis, possui mais de 20 anos de atuação no mercado hoteleiro nacional.  Foi presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Rio de Janeiro (SindRio) e da Associação Brasileira de Indústria de Hotéis (ABIH Nacional). Atualmente, também é coordenador da Câmara Empresarial de Turismo da Confederação Nacional de Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), do Comitê Brasileiro de Normalização em Turismo (ABNT/CB-54) e membro do Conselho Nacional de Turismo do Ministério do Turismo. Além disso, ocupa a vice-presidência da ABIH-RJ.

Pedro Zanette Alfonsin é advogado e pós-graduado em Direito Desportivo e em Direito Civil. É sócio do escritório de advocacia Ricardo Alfonsin Advogados e sócio da empresa Football Law – Investimentos no Futebol. Atualmente, ocupa a Vice-Presidência da Caixa de Assistência dos Advogados e é membro do Grupo de Trabalho da Copa de 2014 do Estado do Rio Grande do Sul. Também administra o blog www.direitodofutebol.com.br. Desde 2008, tem participado de diferentes atividades relacionadas à Copa do Mundo de 2014 e, em maio deste ano, vai lançar, junto ao Sebrae no Rio Grande do Sul, um manual com informações jurídicas sobre a Copa 2014.

Roque Pellizzaro Junior é presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL). Natural de Curitibanos (SC), é graduado em economia e em Direito. Foi Presidente da FCDL-SC por dois mandatos, 2005 a 2008. Em 2007, foi escolhido como presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), para a gestão 2007-2010. Em 2010, foi reeleito presidente da CNDL, quando fica no cargo até 2014. Roque é também empresário de pequeno porte e, portanto, entende a realidade e as dificuldades do varejista no Brasil, principalmente nas pequenas cidades.

Assista aos vídeos do dia

Alexandre Sampaio

Roque Pellizzaro Junior

Pedro Alfonsin

Resumo do Dia

No quarto dia do Papo de Negócio Sebrae 2014, 24 de abril, os especialistas comentaram assuntos referentes àpreparação do comércio brasileiro para receber a Copa das Confederações FIFA 2013, bem como o uso adequado de marcas registradas e o licenciamento de produtos para os eventos esportivos.

Veja o que aconteceu no quarto dia de evento.

Alexandre Sampaio

Alexandre Sampaio, presidente da Federação Nacional de Hospedagem e Alimentação, responde a uma pergunta sobre a qualidade do Serviço de aluguel de carros, como buggies, para passeios turísticos em Natal. A sugestão para quem deseja oferecer esse tipo de serviço é procurar orientações juntamente ao Sebrae e à Secretaria Municipal de Turismo, que poderão informar sobre os critérios de qualidade no atendimento e sobre as exigências legais para o exercício da atividade. Sampaio lembra ainda que o veículo também deve ser certificado para esse tipo de atendimento.

Roque Pellizzaro 

O presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro, destacou alguns dos resultados apontados pela pesquisa divulgada essa semana pela CNDL e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). O estudo teve como objetivo entender como está posicionado o varejo brasileiro e quem são as empresas que irão atender o turista nas cidades-sede da Copa das Confederações FIFA 2013. A pesquisa mostrou que a maioria é micro e pequenas empresas. Outros dados não são tão animadores. “Ficamos assustados com o que vimos”, afirma Pellizzaro. Muitos empreendedores responderam que suas empresas não estão preparadas para esse momento. “A maioria não se preparou para a Copa das Confederações e sequer sabe das oportunidades de negócios que estão elencadas para eles”, acrescenta. A pesquisa mostra ainda que a maioria desconhece as necessidades e as formas de se obter financiamentos para o desenvolvimento e para a melhoria de seu negócio.

Um dos aspectos alertados pelo presidente da CNDL diz respeito à compreensão do que significa a expressão “bom atendimento”. “O brasileiro, de forma geral, tem em sua cabeça que bom atendimento é tão somente colar um vendedor no consumidor. Isso não é verdade”, ressalta. O bom atendimento está no conjunto de tudo que faz parte do estabelecimento, desde a forma como o produto é exposto, passando pela iluminação, pela sonorização e até mesmo pelo aroma do lugar, sendo a comunicação um elemento chave. A internet é novamente sugerida por Pellizzaro. O conselho é oferecer conexão wifi para que os turistas possam utilizar ferramentas que ajudam na comunicação, como smartphones e tablets.

Outro assunto abordado por Roque Pellizzaro foi sobre as atividades que não estão diretamente ligadas aos eventos esportivos, como, por exemplo, lojas de materiais de construção, de material elétrico ou de informática. Esses estabelecimentos não atenderão diretamente ao turista, mas poderão aproveitar as oportunidades geradas pelos eventos de outra maneira. Como? “Produzindo, vendendo e melhorando a qualidade daquelas lojas que vão oferecer, durante os eventos, atendimento direto ao turista”, lembra Pellizzaro.

Os pequenos negócios que fazem parte de outra etapa da cadeia acionada pela Copa das Confederações FIFA 2013 e pela Copa do Mundo FIFA 2014 devem ficar atentos às oportunidades, principalmente, no período que antecede os eventos. Pellizzaro sugere que os empreendedores montem kits de produtos e serviços que possam ser oferecidos a outros estabelecimentos e utilizem diferentes canais de comunicação para divulgação, lembrando ainda que “a web é um mecanismo muito barato e muito fácil de ser utilizado”.

A última sugestão do dia aos pequenos empreendedores é referente à capacitação. Palestras, workshops e treinamentos são oferecidos por instituições como o Sebrae e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de cada cidade-sede onde vão ocorrer os eventos esportivos. “A pesquisa mostrou que a maioria dos micro e pequenos empreendedores sequer procurou informações”, finaliza Roque Pellizzaro.

Pedro Alfonsin

Pedro Alfonsin, advogado e especialista em Direito Desportivo, abriu sua participação no quarto dia de Papo de Negócio respondendo a uma pergunta sobre o uso de nomes e marcas oficiais em brindes e camisetas. Ele lembrou que é possível usar o nome da cidade-sede da Copa do Mundo FIFA 2014 ou da Copa das Confederações FIFA 2013 em uma camiseta sem acrescentar o ano do evento, citando Cuiabá como exemplo. “Se você quiser usar Cuiabá 2014, não pode. Mas, se você quiser utilizar apenas o nome da cidade e fizer uma camiseta verde e amarela, pode”, esclarece. Cuiabá 2014 é marca registrada da FIFA, assim como os demais nomes de cidades-sede dos eventos e seus respectivos anos.

O segundo questionamento foi sobre a comercialização de produtos por meio de eventos esportivos globais, como os que ocorrerão no País a partir deste ano. Alfonsin destacou que o Sebrae pode ajudar nessa questão, orientando o empreendedor sobre o licenciamento de produtos oficiais. O Sebrae também pode ajudar, por meio de consultorias, na criação de produtos que não sejam licenciados, mas que remetam ao Brasil como sede dos megaeventos esportivos.

O advogado destacou mais uma vez que os pequenos empreendedores devem verificar as marcas já registradas e os logos oficiais das competições antes da comercialização de produtos.

Mais informações sobre os termos protegidos pela FIFA, leia na publicação Diretrizes Públicas Marcas Oficiais da FIFA. 

Anúncios