19/04

Conheça mais sobre nossos convidados

Alexandre Sampaio é presidente da Federação Nacional de Hospedagem e Alimentação (FBHA). Formado em ciências contábeis, possui mais de 20 anos de atuação no mercado hoteleiro nacional.  Foi presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Rio de Janeiro (SindRio) e da Associação Brasileira de Indústria de Hotéis (ABIH Nacional). Atualmente, também é coordenador da Câmara Empresarial de Turismo da Confederação Nacional de Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), do Comitê Brasileiro de Normalização em Turismo (ABNT/CB-54) e membro do Conselho Nacional de Turismo do Ministério do Turismo. Além disso, ocupa a vice-presidência da ABIH-RJ.

Pedro Zanette Alfonsin é advogado e pós-graduado em Direito Desportivo e em Direito Civil. É sócio do escritório de advocacia Ricardo Alfonsin Advogados e sócio da empresa Football Law – Investimentos no Futebol. Atualmente, ocupa a Vice-Presidência da Caixa de Assistência dos Advogados e é membro do Grupo de Trabalho da Copa de 2014 do Estado do Rio Grande do Sul. Também administra o blog www.direitodofutebol.com.br. Desde 2008, tem participado de diferentes atividades relacionadas à Copa do Mundo de 2014 e, em maio deste ano, vai lançar, junto ao Sebrae no Rio Grande do Sul, um manual com informações jurídicas sobre a Copa 2014.

Roque Pellizzaro Junior é presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL). Natural de Curitibanos (SC), é graduado em economia e em Direito. Foi Presidente da FCDL-SC por dois mandatos, 2005 a 2008. Em 2007, foi escolhido como presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), para a gestão 2007-2010. Em 2010, foi reeleito presidente da CNDL, quando fica no cargo até 2014. Roque é também empresário de pequeno porte e, portanto, entende a realidade e as dificuldades do varejista no Brasil, principalmente nas pequenas cidades.

Assista aos vídeos do dia

Alexandre Sampaio

Roque Pellizzaro Junior
Pedro Alfonsin
 

Resumo do Dia

No primeiro dia, o diretor técnico do Sebrae, Carlos Alberto dos Santos, deu boas-vindas aos empreendedores e futuros empreendedores e lembrou que a Copa do Mundo FIFA 2014 está chegando e os vários investimentos em infraestrutura acontecem a todo vapor pelo País.

Carlos ressaltou que antes da Copa do Mundo teremos a Copa das Confederações ainda em 2013 e que muitas oportunidades já se apresentam para o empresário que possui um pequeno negócio a partir desse evento. O diretor fechou sua fala convidando a todos os interessados a participar do evento que acontece online e que pode ser acessado a qualquer hora do dia ou da noite.

Veja o que aconteceu no primeiro dia.

 Convidados

Alexandre Sampaio

Em seu vídeo de abertura, o presidente da Federação Nacional de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Alexandre Sampaio, lembrou que os próximos anos serão de “grande atividade” para os pequenos negócios voltados ao turismo, principalmente nesse momento inicial, em que o País se prepara para a Copa das Confederações 2013, em junho.

“É importante que o empresário que queira empreender nessa área ou que já atue nessa área perceba as oportunidades de negócios que se apresentam, dado que elas serão crescentes”, alerta. Sampaio ressalta que o nível de exigência será muito grande não somente dos turistas brasileiros, que circularão por todo o País, mas também de turistas estrangeiros que participarão dos eventos esportivos.

No setor de hotelaria, por exemplo, independentemente do tamanho dos estabelecimentos, será necessário investir em novos fornecedores, que vão atuar e suprir lacunas de atendimento, sempre com vistas a propiciar “um negócio de excelência”. Já no setor de restaurantes, as demandas estarão focadas no atendimento diferenciado às comitivas especiais que participarão dos eventos.

Segundo Sampaio, as oportunidades são inúmeras também para os empreendedores que atuam no atendimento de turismo, como os agentes de viagens. Ele chama atenção para a oferta de serviços diferenciados, com opções voltadas para o ecoturismo e turismo cultural. “Os estrangeiros têm interesse específico também em cultura, não só em praia e mar”, afirma Sampaio, lembrando que essas são áreas com grande potencial de negócios.

O presidente da Federação Nacional de Hospedagem e Alimentação lembra ainda que empreendedores interessados em investir em algum desses nichos, devem buscar orientação e informações seguras sobre como os serviços podem ser oferecidos. A dica é procurar as entidades representativas do setor, como a própria Federação ou o Sebrae, por exemplo, ou mesmo entidade patronais correlatas.

Roque Pellizzaro

Roque Pellizzaro, presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), lembrou as oportunidades e desafios que o comércio vai vivenciar com os grandes eventos esportivos. Desafio focado, principalmente, no perfil do público a ser atendido que vem dos quatro cantos do planeta. Além da barreira da língua, esse público deseja um portfólio de produtos diferente do que se possui hoje. Segundo Roque, esses desafios podem ser vencidos com preparo e capacitação. “Entidades como a CNDL, as CDLs e o próprio Sebrae têm promovido workshops, treinamentos e debates que mostram e vinculam essa necessidade”.

Pellizzaro contou que a CNDL divulgará nos próximos dias pesquisa que mostra o perfil do lojista brasileiro, ou seja, quem é o empresário que irá atender a esse público que chega ao País ou até mesmo o público interno, que irá transitar em estados e cidades diferentes. E para que as oportunidades sejam bem aproveitadas, os empresários precisam estar preparados. Exemplo disso é o uso hoje obrigatório da internet e das mídias sociais também nos pequenos negócios. É fundamental compreender o que cada uma dessas ferramentas pode significar para o negócio. E destacou: “todo o mundo hoje já olha para o Brasil através dessa lente que se chama internet”. Ou seja, as empresas precisam estar presentes na rede mundial de computadores, independentemente do seu tamanho. Muitas ferramentas como Facebook e twitter são gratuitas e atendem a um novo perfil de consumidor, que olha, interage e contribui com o crescimento dos negócios.

Sobre a dificuldade da língua, Roque sugere que o empresário de pequenos negócios adquira um tablet, do mais simples que seja, e que tenha conexão com a internet. Ele pode usar o tradutor do Google (http://translate.google.com.br/),

que é gratuito e com isso ter à sua disposição uma ferramenta de diálogo com o consumidor estrangeiro. “O investimento nessas ferramentas é baixo e importante não só para esse momento, mas para a gestão e operação do negócio”, destacou.

Outro ponto citado por Roque em seu vídeo foi a importância de preparar os vendedores e colaboradores do comércio para atender bem os visitantes e conhecer um pouco dos costumes de cada uma das nacionalidades que poderá visitar o Brasil nessa época. Essas são informações fáceis de serem encontradas na internet.

Roque fechou o vídeo sugerindo que o empresário acompanhe os workshops oferecidos pela CNDL e o trabalho realizado pelo Sebrae junto aos pequenos empreendedores. E cita pesquisa realizada pela CNDL no ano passado que mostra que 86% do comércio brasileiro é composto de micro e pequenos negócios.

Pedro Alfonsin

O advogado Pedro Alfonsin falou sobre questões jurídicas que envolvem a Copa do Mundo FIFA 2014 e a Copa das Confederações da FIFA 2013. São questões envolvendo licenciamento, Lei Geral da Copa, as áreas de restrição comercial e principalmente os eventos de exibição pública que são  importantes oportunidades para empresários de pequenos negócios no Brasil inteiro.

Pedro destacou inicialmente o licenciamento das marcas, quais marcas da FIFA são licenciáveis e quais marcas o empresário de pequena empresa pode utilizar sem burlar a legislação da Lei Geral da Copa e a propriedade intelectual. Segundo ele, é importante atentar para as marcas registradas pela FIFA junto ao INPI. Marcas e nomes como Copa do Mundo, Copa do Mundo 2014, por exemplo, são marcas registradas. Nomes de cidades-sede com o 2014 – Rio de Janeiro 2014, Porto Alegre 2014, Curitiba 2014 – também são marcas registradas da FIFA, assim como o mascote também é marca registrada. Todos os itens estão registrados no site do INPI e também no site do Sebrae 2014

Alfonsin sugeriu que os empresários prestem atenção ao que pode ser utilizado como marca para não violar as leis da FIFA e que não precise passar por uma burocracia contratual, sem licenciar os produtos. “O empresário pode usar as cores da bandeira do Brasil, o nome Brasil, imagens de bolas de futebol. Pode também aludir ao clima da Copa do Mundo e Copa das Confederações em seu estabelecimento ou em seu produto, desde que não viole a marca.

Para quem quiser licenciar, o advogado informou que haverá um programa específico do Papo de Negócio voltado para o tema licenciamento, no qual serão especificadas questões que envolvem contratos, custos, licenciado e o licenciante.

Sobre os eventos de exibição pública, Pedro comentou que independente das fanfests, poderão acontecer eventos que podem reunir pessoas em uma praça, por exemplo, com até 5 mil pessoas, para exibição dos jogos e eventos não comerciais. Também será possível fazer eventos comerciais, nos quais o empresário pode cobrar um valor específico de ingresso dentro do seu estabelecimento, um restaurante, por exemplo. Para esses casos, existem algumas normas a serem seguidas, como a transmissão exclusiva da Rede Globo, e questões pecuniárias, de valores que devem ser pagos. Mais informações podem ser encontradas no site www.exibiçãopublicafifa.com.br.

Pedro também falou sobre as áreas de restrição comercial, principalmente no que tange a propriedade intelectual e proteção das marcas da FIFA. No raio de 2km dos locais onde estejam sendo realizados eventos oficiais da FIFA, não poderá haver comercialização de marcas que não sejam das parceiras da FIFA e dos patrocinadores do evento. No caso de estabelecimentos comerciais já existentes próximos a esses locais, não será aceito que uma marca concorrente use o local para estratégia de marketing de emboscada.

Twitaço sobre oportunidades Copa das Confederações

Vamos agitar o Twitter com o debate sobre as oportunidades geradas pelos grandes eventos esportivos que acontecem no País? Divulguem nosso Papo de Negócio com a hashtag #papodenegociosebrae2014, tuitando suas impressões sobre o evento.

Anúncios